Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]


"CONHECIMENTOS ÚTEIS PARA A UNIDADE CURRICULAR - TIC"

por aparecidamaria, em 09.04.08

Este texto é objectivo e de fácil compreensão e para quem quer ter uma leitura mais aprofundada sobre os blogs e uma excelente opção… Eu gostei muito…Se tiverem disponibilidade de tempo leiam. Beijos. Aparecida

 

QUAL A FINALIDADE DE UM BLOG OU WEBLOG?

 

Um Blog educacional, tem como finalidade a construção de textos narrativos, de forma colaborativa. Para isto, apresenta-se inicialmente, o conceito de interacção, um breve histórico da evolução dos weblogs, suas características e as possibilidades de uso na educação para possibilitar os docentes em suas actividades pesquisacionais.

Um weblog é uma ferramenta adequada ao processo de interacção mediada por computador e à construção de textos colaborativos tanto para docentes como discentes..

 

 UMA RECENTE FORMA DE INTERAÇÃO NA WEB “ OS BLOGS”

 

Historicamente, o primeiro weblog foi o primeiro website, construído por Tim Bernes Lee e tinha como objectivo apresentar os novos sites à medida que eles eram disponibilizados online [Winer, 2002].

Os weblogs, blogs, surgidos ao final dos anos 90, difundiram-se rapidamente, pela facilidade de produção, que não exige grandes conhecimentos de linguagem html.

Diferentemente da página pessoal, o blog pode ser actualizado diariamente, de forma datada e apresentar registos de situações diárias de quem o escreve. Por esta razão, os blogs ainda são classificados como diários pessoais em formato electrónico, por apresentarem características como: relatos sobre a pessoa que escreve, “sua família, seus gostos, actividades e sentimentos, crenças e tudo que for conversável” [Marcuschi,2004].

Hoje, há uma diversidade de temas discutidos em blogs. Do objectivo inicial, apresentar links para sites emergentes, até os denominados diários pessoais, os blogs se diferenciaram e se tornaram instrumentos de divulgação de diferentes temas e assuntos, principalmente jornalísticos. Há, ainda, sites e blogs especializados em divulgar weblogs por assuntos, onde o internauta pode pesquisar e ler aquele que mais convém aos seus interesses, como no blog Blogopédia (2004), ou no site BlogList (2004),exclusivo para blogs brasileiros, que oferece a busca por categorias como : pessoais e estilo de vida, natureza e meio ambiente, cinema e televisão, história em quadrinhos, esportes, política e sociedade e educação e cultura. Nesta última categoria foi encontrado o registo de 400 blogs cadastrados. Considerando que os cadastros de novos blogs no BlogList foram suspensos em Julho de 2004, conforme informações do site, pode-se supor que os totais de blog relacionados à educação estejam bastante ampliados.

Isto se deve, principalmente, ao facto de que as escolas, no dizer de Marcuschi (2004) não podem passar à margem das inovações tecnológicas, “sob pena de não estar situada na nova realidade dos usos linguísticos”, o que se reflecte no letramento digital, papel também atribuído à escola actual. Como já se tem um consenso em que a área em que mais se verifica a presença e a força da computação no contexto linguístico, é a escrita [Marcuschi, 2004], há em consequência, a necessidade de um novo tipo de letramento.

 

 CARACTERÍSTICAS DOS WEBLOGS

 

Por ser uma ferramenta interactiva, os blogs apresentam características técnicas que podem ser consideradas pedagógicas, embora não tenham sido criadas com este objectivo, que permitem alcançar o letramento digital.

Como característica técnica, os blogs apresentam a possibilidade de publicação instantânea, em entradas cronologicamente inversas, permitindo a divulgação de textos, imagens, músicas, a capacidade de arquivamento de mensagens anteriores, disponível ao leitor, além de hiperligações, que tanto podem, complementar o assunto em debate, quanto relacionar um blog a outros blogs

Nos programas específicos para criação dos weblogs, há ainda, ferramentas que, apesar de fazerem parte da estrutura técnica, podem ser consideradas pedagógicas, se devidamente utilizadas num blog que se proponha a trabalhar com aspectos educacionais, que são as ferramentas de interacção com o público: como o espaço dos comentários, o livro de visitas e os murais virtuais. Estas ferramentas podem proporcionar situações de debates escritos, discussão de ideias, complementação de temas e pesquisas sobre diferentes assuntos educacionais, a partir dos textos lidos na parte referentes aos posts, ou até mesmo nos comentários. Além disto, o visitante do blog ao deixar um comentário, tem seu e-mail ou seu site identificado, o que permite ao autor do weblog, comunicar-se com quem escreveu, propiciando assim, mais uma forma de interacção.

Em relação à linguagem, assim como nos chats e e-mails, nos blogs uma das estratégias de produção escrita é o uso de textos mais curtos. Observa-se, ainda, na linguagem utilizada pelos blogueiros, a reprodução de situações do uso da língua como numa conversa informal, e no dizer de Halliday (1996), uma escrita mais amigável.

Pode-se observar, por exemplo, que mesmo sendo amigos virtuais, os blogueiros, como nos exemplos abaixo, se utilizam de convenções próprias de uma conversa face a face, principalmente nos comentários, como se pode comprovar em um blog educacional e em um blog pessoal, como nos exemplos, a seguir.

 

Em um blog educacional, que apresentava no post, um texto sobre a importância da leitura e da escrita, foi encontrado o seguinte texto: “oiii adorei a crónica da Martha, ela como sempre manda muito bem nos textos... Tem razão a gente só se preocupa em aprender inglês, física, esquecendo assim de ler e com isso os erros de português aumentam...” Blog opinião, 2005.

 

O mesmo tipo de escrita relacionada à fala foi encontrado em blogs pessoais:

“Pô, amigo! Mas tu tá parado mesmo, hem? Cadê aquele ânimo inicial? Vamos lá. Acelera!” Blog do Mateus, 2005.

 

Por estes motivos, os blogs segundo Bull (2003), criam um marco de interacções sociais e activa o desejo das pessoas se comunicarem.

 

 

 POSSIBILIDADES E VANTAGENS DO USO DO BLOG NA EDUCAÇÃO

 

Diferentes pesquisadores têm se preocupado em analisar e descrever as possibilidades de uso dos weblogs na educação. Em Davis (2004) pode-se encontrar uma relação de actividades a serem desenvolvidas por professores utilizando os blogs.

Segundo a autora, os professores podem propor a criação de um blog para discutir livros lidos, expor suas ideias sobre determinados assuntos, escrever e discutir sobre notícias diárias e criar projectos em grupo, entre tantas outras. Para Barros, (2005) os blogs representam uma excelente oportunidade para educadores promoverem a alfabetização através de narrativas e diálogos. As características dos blogs, como o espaço personalizado que fornece, e os links dentro de uma comunidade on-line, criam um excelente contexto de comunicação mediada por computador para expressão individual e interacções colaborativas no formato de narrativas e diálogos.

Apontando a necessidade de que alunos utilizem espaços reais de uso da linguagem escrita, Bull (2003), argumenta que os blogs ao apresentarem espaços limitados, obrigam os estudantes a condensarem seus textos e demonstrarem como pensam enquanto trabalham como leitores ou escritores. Os autores apresentam ainda, algumas características instrutivas de um blog: a economia, pois nos blogs se exige precisão e comunicação de ideias, de forma específica; os comentários estimulam o compartilhamento e a revisão por parte dos leitores e dos escritores., que dão início a um processo de comunicação interactiva; o imediatismo, pois tão logo se publica algo em um blog, ele aparece na rede , o que inicia o sistema de comentários e respostas e ainda, a participação activa, já que o blog proporciona a oportunidade de discutir temas de sala de aula, complementando-os, pensando sobre o assunto, e respondendo, o que induz uma maior participação de todos os estudantes.

Os autores concluem ainda, que os espaços de escrita electrónica podem ampliar a motivação e ensinar habilidades do mundo real, como a narração de histórias, que eles denominam como narrablogs, o que oferece aos estudantes a possibilidade de verificar como trabalham os escritores, mas também é uma forma menos exigente para que os alunos se empenhem na criação de textos.

Como a interacção é a base do processo educacional, buscou-se em Vygotsky (1988) a base teórica adequada, que propiciasse a verificação do processo de interacção em um blog educacional.

 

(DANIELA VEJA COMO ESSE AUTOR, APESAR DE TER FALECIDO JOVEM, AS IDEIAS DELE AINDA PERMANECE ATÉ NA TECNOLOGIA DE HOJE).

 

 O PROCESSO DE INTERACÇÃO NA TEORIA VYGOTSKYANA 

O conceito de interacção, fundamental no estudo da comunicação mediada por computador, pode ser explicado através da teoria sócio-interacionista preconizada por Vygotsky.

Para Vygotsky (1988), os processos psicológicos superiores, tais como a representação simbólica, são processos de natureza dialógica, cuja construção se dá através do jogo de relações semióticas propiciado pelos agentes da cultura e pelos produtos culturais, em particular, a linguagem. Além disto, Vygotsky destaca a interacção como função mediadora no desenvolvimento cognitivo. Interacção esta, que se realiza tanto com adultos, portadores de referências e significados da cultura, quanto com indivíduos em níveis de desenvolvimento diferenciado. Em consequência, a aprendizagem é um processo social, que se realiza desde o nascimento, e que ocorre na interacção com outras pessoas. A partir da interacção social, o sujeito desenvolve a sua relação com o mundo, mediada pela linguagem, que lhe permitirá ter acesso aos bens culturais da sociedade em que está inserido.

Esta concepção de interacção deu origem à Teoria da Actividade Verbal [Koch,2004], desenvolvida a partir das ideias de Leontiev e Luria, seguindo ideias de Vygotsky. Segundo a teoria, a linguagem é uma actividade social, realizada com vistas a atingir determinados objectivos. Desta forma, toda actividade linguística seria composta por um enunciado, produzido com dada intenção ou finalidade, em condições necessárias para alcançar o objectivo visado e as consequências decorrentes da realização do objectivo. Em consequência, o locutor/leitor/produtor do texto deve realizar actividades linguísticas -cognitivas para garantir a compreensão como repetir, parafrasear, completar, resumir, exemplificar, corrigir ou enfatizar ou para estimular, facilitar ou causar a aceitação, fundamentando, justificando, preparando o terreno, etc., como afirma Koch (2004).

A partir desta fundamentação teórica pode-se afirmar que a teoria da Actividade Verbal, possibilita o embasamento de actividades escolares que privilegiem o uso do computador, fundamentadas nas interacções sociais, contribuindo para o processo de desenvolvimento linguístico e cognitivo. E, por considerar-se a escrita e a leitura como formas de desenvolvimento da linguagem, nas diferentes instâncias do processo educacional, o uso de blogs na educação, mediada por professores, adultos mais experientes, podem contribuir para o acesso aos bens culturais preconizados por Vygotsky.

Como forma de verificar as estratégias linguísticas cognitivas utilizadas por alunos num blog educacional, elaborou-se uma presente pesquisa, cuja metodologia é explicitada na teoria de Vygotsky.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:04



Este Blog-fólio foi criado para uso da Unidade Curricular - TIC - Mestrado em Educação SUPERVISÃO PEDAGÓGICO DO ENSINO DAS CIÊNCIAS

SOU! "COMO DANIEL NA COVA COM OS LEÕES"

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Abril 2008

D S T Q Q S S
12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
27282930



Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D